Algarve Wine Tourism
Algarve Wine Tourism foi distinguido com o troféu “Enoturismo 2023”
apanha da azeitona
Apanha da azeitona: Qual o momento ótimo para a colheita?
Algarve Wine Tourism
Algarve Wine Tourism foi distinguido com o troféu “Enoturismo 2023”
apanha da azeitona
Apanha da azeitona: Qual o momento ótimo para a colheita?

07 de março de 2024

Padrões de compra dos portugueses estabilizam com abrandamento da inflação

Foto de Jimmy Dean em Unsplash

Os padrões de compra dos portugueses voltam a estabilizar após o abrandamento da inflação.

De acordo com dados do mais recente Painel de Lares da Kantar, analisados conjuntamente com a Associação Portuguesa de Empresas de Produtos de Marca- Centromarca, é revelado que com a desaceleração da inflação, os padrões de compra dos portugueses estão a estabilizar.

Ao comparar 2023 com o ano anterior, demonstra-se que apesar de os portugueses terem ido mais vezes às compras (+2,4% de frequência de compra), encheram menos vezes os seus carrinhos (-6,0% no volume de cada ato de compra). Poucas foram as categorias que fugiram a estas tendências: nos artigos de higiene e beleza e nos produtos petrolíferos, por exemplo, os portugueses aumentaram o volume de compra em 2023.

Segundo o diretor geral da Centromarca, Pedro Pimentel, “2023 foi um ano difícil para as marcas e para a boa parte dos retalhistas, com a pressão inflacionista a pressionar as opções de compra dos consumidores, obrigando-os a reduzir substancialmente os volumes comprados, a fazer opções por produtos de menor valor e a ter que abdicar de muitos produtos e de muitas das suas marcas favoritas”.

Ao comparar o ano de 2023 com 2019, na categoria Alimentação, a comida pronta aumentou 28,6% e os congelados 5,8% foram as únicas subcategorias com aumentos de volume.

Neste sentido, a comida pronta é mesmo a categoria que tem gerado mais valor para as insígnias de distribuição, originando maior gasto médio e frequência de compra mais elevada.

Já em comidas fora de casa, no último trimestre de 2023, mais 16,6% do que no mesmo período de 2022. O aumento deu-se sobretudo ao pequeno-almoço, almoço e jantar (+18,1%), porém a tendência também se verificou entre refeições (+15,0%).  O consumo na habitação, por outro lado, caiu 2,5% nos últimos 6 meses de 2022, quando comparado com o período homólogo.

Posto isto, o estudo prevê que o padrão de compra estabilize em 2024, após vários anos de incertezas causadas pela pandemia e crescente inflação. Nas previsões de Kantar, 2024 deverá trazer um aumento de 3,0% no valor gasto em bens de grande consumo, bem como um aumento de 1,2% no volume por cada ato de compra dos consumidores, depois das quebras verificadas ao longo de 2023 a nível das quantidades compradas.

Para as marcas, o desafio é aproveitar esta tendência e expandir o seu leque de produtos de comida pronta, inovando nos formatos e nas embalagens. O foco deve estar em propostas de valor acrescentado únicas, ajustadas às preferências do consumidor dentro e fora de casa, na ampliação da oferta, na adaptação dos sortidos e na surpresa, para atrair novos compradores.

 

Fonte: Tecnoalimentar