AGRO volta a Braga com quatro dias de feira
GPP disponibiliza análise sobre o Comércio Internacional, relativamente a dezembro de 2022
AGRO volta a Braga com quatro dias de feira
GPP disponibiliza análise sobre o Comércio Internacional, relativamente a dezembro de 2022

27 de Fevereiro de 2023

Inflação – Preços dos alimentos sobem mais em Portugal do que na restante Zona Euro

Ainda que a taxa de inflação de Portugal tenha terminado o ano anterior com um grau semelhante ao da zona euro, salientam-se divergências nas variações bastante significativas, nomeadamente com os alimentos.

Comparando com a restante zona euro, existem dez bens e serviços que apresentaram um nível maior em Portugal, sendo que desses dez, oito constituem-se como produtos alimentares. Este facto demonstra a grande crise de inflação que ocorre em Portugal, mais propriamente na distinção demarcada pelos alimentos nesta mesma crise. Por sua vez, esta subida de preços é justificada por profissionais do setor com os gastos de transporte dos bens consumidos e com os preços “historicamente baixos”, por suposição, de certos produtos.
Ao comparar o aumento de cada bem e cada serviço ao longo de 2022 em Portugal e na restante zona euro, compreende-se que existem perturbações nas variações em vários preços específicos que são muito significativas, porém a taxa de inflação de Portugal em dezembro (9,8%) ficou a um nível próximo da zona euros (9,2%).
Por outro lado, o que se nota na lista de bens e serviços em que a inflação é bem mais alta do que na zona euro é a predominância dos produtos alimentares. Ovos, com uma inflação de 53,1% em Portugal e de 23,9% na zona euro, são o segundo na lista.
Consequentemente, os 15 bens alimentares em que se sentiu um grande aumento de preços em Portugal e não no resto da zona euro foram também o leite fresco, a fruta em conserva, comida de bebé, carne de porco, açúcar, legumes e arroz.
Nos produtos onde acontece o oposto, destacam-se sobretudo os energéticos. Com a exceção do gás natural, os preços da energia em Portugal, apesar de subir bastante durante o último ano, não subiram tanto como na zona euro.

Fonte: Público