Candidaturas ao Pedido Único
Candidaturas ao Pedido Único 2024 – até 31 de maio
seca
Seca: Governo alivia restrições ao consumo de água no Algarve
Candidaturas ao Pedido Único
Candidaturas ao Pedido Único 2024 – até 31 de maio
seca
Seca: Governo alivia restrições ao consumo de água no Algarve

23 de maio de 2024

Congresso Nacional do Azeite aborda Olivoturismo, Preço do Azeite e Alterações Climáticas

Foto em Unsplash

O 7º Congresso Nacional do Azeite abordou diversos temas, organizado pelo Centro de Estudos e Promoção do Azeite do Alentejo (CEPAAL).

O Centro de Estudos e Promoção do Azeite do Alentejo (CEPAAL) realizou o 7º Congresso Nacional do Azeite em parceria com a Câmara Municipal de Valpaços, durante a Feira Nacional de Olivicultura - Olivalpaços. O evento reuniu mais de 200 profissionais do setor e mais de 20 renomados oradores nacionais e internacionais para discutir questões vitais para a indústria do azeite em Portugal.

 

O Congresso abordou três grandes temas: Olivoturismo/Oleoturismo, o Preço do Azeite: Mitos e Tabus, e as Alterações Climáticas, o futuro hoje. Com a presença do Ministro da Agricultura e Pescas, a discussão girou em torno da necessidade de promover o olivoturismo como forma de valorizar a marca Portugal e impulsionar a economia circular.

O destaque foi dado à importância do setor do azeite em Portugal, tanto em termos de produção quanto de qualidade. Foram debatidas medidas para melhorar a internacionalização do negócio, flexibilizar regras e organizar o setor de forma interprofissional.

Além disso, a questão das alterações climáticas foi abordada como uma preocupação empresarial e social, destacando a importância do olival na busca pela neutralidade carbónica e zero emissões.

O evento contou com apresentações, mesas redondas e debates com especialistas, destacando a importância do conhecimento e da diversidade da cultura do azeite, a criação de rotas e um Marketplace para o olivoturismo, e a necessidade de trabalhar em rede para garantir o desenvolvimento sustentável do setor.

 

Fonte: Revista Voz do Campo