infestantes na vinha
Infestantes na vinha: como controlá-las?
preço do azeite
Portugal com a maior subida do preço do azeite na UE
infestantes na vinha
Infestantes na vinha: como controlá-las?
preço do azeite
Portugal com a maior subida do preço do azeite na UE

27 de fevereiro de 2024

Comércio online: Apenas 18% das empresas em Portugal vendiam online em 2022

Foto em Unsplash

Em 2022, mais de um quinto das empresas da UE realizavam vendas de comércio online. Portugal é o quinto país mais atrasado neste âmbito com apenas 18% das empresas a fazê-lo.

O comércio online continua a ganhar terreno desde a sua evolução com a pandemia na Europa e no mundo. No ano de 2022 cerca de 23% das empresas da UE têm vendas através da internet, o que representa um aumento de 0,1 pontos percentuais face a 2021. Portugal trata-se do quinto país do bloco comunitário onde a percentagem é menor, com apenas 18% das empresas a fazê-lo.

Apesar de mais de um quinto das empresas efetuarem vendas online em 2022, com uma percentagem de 22,9%, na última década ocorreu um crescimento significativo uma vez que, em 2012, apenas 16,4% das empresas da UE vendiam online, consoante os dados divulgados esta segunda-feira pelo Eurostat.

De acordo com cada Estado-membro, os valores variam, sendo que a Lituânia é o país com maior percentagem de empresas com vendas online (38,9%), seguindo-se a Suécia com 38,1% e a Dinamarca (36,7%).

Neste sentido, Portugal apresenta uma má posição neste aspeto com apenas 18% das empresas com comércio online. O país é, então, o quinto do bloco comunitário mais atrasado neste âmbito, empatado com a Polónia, e apenas superado pela Roménia (12,9%), Luxemburgo (13,4%), Bulgária (15,1%) e França (16,8%).

O Eurostat adianta ainda que a percentagem de empresas que vendem online variou significativamente através da dimensão das mesmas. Por sua vez, no ano de 2022 quase metade (45,9%) das grandes empresas na UE tinham comércio online, enquanto que a fasquia nas médias empresas recuava para 30,2%. Já nas pequenas empresas, apenas 20,8% vendiam pela internet nesse mesmo ano.



Fonte: ECO Sapo